quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Microcontos & outras miudezas 180

Simplesmente Simplício (ou, vá lá, Sr. Galinhas)
Sou Bomba, Dezassete e Perna-de-Pau, por parte do meu pai, e sou Neques, por parte da minha mãe, com muito gosto. Já me chamaram Américo, Pobre, Padreca, Sacerdote, Profeta, Bítala, Cabeludo, Guedelhudo, Hippie, Careca, 05613478, Amélia, Caixa-de-Óculos, O das Barbas, Ó Tio Ó Tio, Gramático, Chefe, Doutor, Professor, Andrade, Pau de Virar Tripas, Gordo, Ex-Gordo, Hernano, Hermano, Herlânder, Hermo, Hérnio, Irrenane, Renane, Ranano, Renamo, Ernesto, Aquele Senhor, Ó Senhor!, Doente da Cama 2, Próximo!, Nanes, Se'Nane, Belingue, Berlingue, Bilingue, Berlindes, Boelingue, Bolingue, Dillinger, Dilingue, Volkswagen. Eu prefiro que me chamem Simplício.

P.S. - Texto publicado originalmente no dia 29 de Outubro de 2018. Torno hoje a ele porque anteontem, num contacto telefónico com a NOS, recebi uma nova medalha: Galinhas. A simpática e diligente operadora chamava-me Sr. Galinhas, Sr. Hernâni Galinhas. Só para aí à terceira ou quarta vez é que eu percebi e desatei a rir, elogiando a agradecendo tão original rebaptismo. "Mas o senhor não me disse que se chama Hernâni Galinhas?", perguntou-me a menina-senhora, um bocadinho confusa e pareceu-me que também algo constrangida. "Doellinger, eu disse Doellinger", tentei explicar. "Hã?...", tarmamudeou a eficiente profissional, cada vez mais desbaratinada. "Silva, Hernâni Silva. Olhe, chame-me Simplício, simplesmente Simplício", resolvi eu enfim, e foi assim que nos entendemos.

A pintura do Mané
A pintura do Mané não lhe dizia grande coisa. Asseguravam-lhe que o Mané era um grande artista, falavam-lhe do impressionismo francês, até do realismo, dos jogos de luz e de sombra, dos nus, mas ele não se deixava convencer. O Mané era um gajo porreiro, isso nem se discute, pagava umas cervejas quando chegava a sua vez e desenrascava satisfatoriamente o lugar de defesa-esquerdo nos jogos das manhãs de domingo na praia, mas, quer-se dizer, era apenas um trolha regular e à beira da reforma. Como ele...

O organista
- Profissão?
- Organista.
- Orquê?...
- Tocador de órgão...
- Próprio ou de outrem?...

O número
Subiu ao palco, aproximou-se do microfone e anunciou que tinha um número para apresentar. Apresentou o cinquenta e três e foi um sucesso.

Futebol, a quinta-essência
Antigamente jogava-se para ganhar. Às vezes ganha-se, outras vezes perde-se, geralmente empata-se. Agora joga-se para "tirar ilações".

Sem comentários:

Publicar um comentário