quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Nélson de Araújo Lima

Asas do Brasil 

Vejo-as em pleno azul!... Asas soltas ao vento,
Em remígios triunfais nas manhãs luminosas!
São asas do Brasil que pelo firmamento
Adejam majestosas!

 
Vendo-as nessas manhãs, vai meu olhar com elas,
Seguindo-as pelo azul puríssimo, sem véu...
Banhadas pela luz do sol, como são belas
As asas do Brasil abertas neste céu!

 
Vendo-as, vejo florir o ideal condoreiro
De Severo e Gusmão, irmanados os dois
Pelo sonho imortal que sonharam primeiro,
E que foi por Dumont realizado depois!

 
Vendo-as, sinto aumentar em meu peito, que encerra
Um amor infinito ao Brasil todo inteiro,
A ventura sem par de nascer nesta terra
E esse orgulho que sinto em nascer brasileiro!

 
Ei-las que na amplidão, pairando nas alturas,
Por sobre a terra e o mar desta pátria gentil,
Aumentam-nos a fé nas conquistas futuras
Das asas do Brasil!


"Remígios (Poemas da Aviação)", Nélson de Araújo Lima

(Nélson de Araújo Lima nasceu no dia 25 de Janeiro de 1903.)

Sem comentários:

Publicar um comentário