quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

João de Barros 2

Soneto de amor

Tantos passaram pelo teu caminhos
Antes que fosse a hora de eu passar,
Que tenho a dor de me não ver sozinho
Na memória fiel do teu olhar.

Nenhum te disse frases de carinho,
nenhum parou, talvez, para te amar...
E vão perdidos no redemoinho
Da vida e nunca mais hão-de voltar.

Para ti, nenhum foi o mesmo que eu...
- Mas porque a tua vista os abrangeu
Mesmo sem alegria, amor ou fé,

Deles alguma coisa em ti existe
- Alguma coisa que me deixa triste
Porque não posso adivinhar o que é!...


João de Barros

(João de Barros nasceu no dia 4 de Fevereiro de 1881. Morreu em 1960.)

Sem comentários:

Publicar um comentário