quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Poesias completas e praticamente reunidas (vol. XVII)

Pessoa colectiva
Fernando Pessoa,
Alberto Caeiro,
Álvaro de Campos,
Ricardo Reis,
Bernardo Soares.
É daí que vem.

Elogio da cobardia

Mais vale sê-lo
que estampilha.

Crime, disseram-lhe
Foi levado a tribunal
por matar o vício.
Ele não sabia
que era crime.

Flores ao solheiro
Um restinho de sol
e lá se sentavam elas
comparando
doenças e façanhas
de netos havidos
ou inventados.
Rosa, Violeta, Hortênsia,
Margarida, Dália, Açucena
- evidentemente no jardim,
ao entardecer da vida...

Esperando deitado, amém
Deus tarda
mas não falha.
Há quem diga.

Aguçando
A necessidade aguça
o engenho.
A afiadeira aguça
o lápis.

O homem profundo
Era um homem profundo.
Dizia amiúde:
- Penso agora, logo existo.

A cara com a careta
Tinha uma memória
de elefante.
E de tromba também
não estava nada mal.

Sem comentários:

Publicar um comentário