segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Mário Ypiranga Monteiro

- Olho a tarde que finda... A espessa bruma
vela os contornos da paisagem queda
e as horas vão tecendo, uma após uma,
sobre o meu tédio um pálio gris de seda. 


As flores que colhi morrem exalmas,
hastis dobrados nos bocais das jarras.
(É assim que morrem, pelas tardes calmas,
os poetas, os lírios e as cigarras...)


Flutua a solidão aqui em tomo
onde somente o pêndulo assinala
breve, monótono, insistente e somo,
a ausência dela nesta pobre sala.


"Dona Ausente", Mário Ypiranga Monteiro

(Mário Ypiranga Monteiro nasceu no dia 23 de Janeiro de 1909. Morreu em 2004.)

Sem comentários:

Publicar um comentário