sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Manuel Lopes

Soneto à liberdade

Primeiro tu virás, depois a tarde
com terras, mares, algas, vento, peixes.
trarás, no ventre, a marca das idades
e a inquietude dos pássaros libertos.

virás para o enorme do silêncio
- flor boiando na órbita das águas -
tu não verás o fúnebre das horas
nem o canto final do sol poente.

primeiro tu virás, depois a tarde
sem desejos e amor. virás sozinha
como o nome saudade. virás única.

eu não terei a posse do teu corpo
nem me batizarei na tua essência,

mas tu virás primeiro e eu morro livre.

Manuel Lopes

(Manuel Lopes nasceu no dia 23 de Dezembro de 1907. Morreu no dia 25 de Janeiro de 2005.)

Sem comentários:

Publicar um comentário