quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Amílcar Dória Matos 2

Madrugal

A madrugada treme no meu peito.

O cobertor, bandeira esfarrapada.
Há legiões de duendes sobre o leito.
Mil sons de passos sobem da calçada.

Do teto a cal mortiça se derrama.
O travesseiro me pressiona a nuca.
Da cabeceira jorra uma maluca
onde a luz que incide sobre a cama.

Ouço o relógio perfurar, insano,
do vil silêncio o torturante pano
e respingar de sangue o meu pijama.

Meus dedos, quais formigas no lençol,
avançam temerosos para o sol
do teu indiferente corpo em chama.

Amílcar Dória Matos 

(Amílcar Dória Matos nasceu no dia 24 de Janeiro de 1938. Morreu em 2010.)

Sem comentários:

Publicar um comentário