sábado, 23 de dezembro de 2017

Filinto Elísio 5

A macaca e o burro
 
No cristal de uma fonte clara e pura
Uma macaca estava contemplando
a sua formosura:

Os momos e os pulinhos revezando,
Da sua presunção indícios dava.

E de ser bela, com prazer, gozava.

Um burro, que pastava
Não longe do mostrengo presunçoso,
Condoído as orelhas sacudia.
E consigo dizia:
Se ao menos o meu porte grave e airoso,
Se a minha voz tonante ela tivera,
De ser vaidosa a permissão lhe eu dera.

Filinto Elísio

(Filinto Elísio nasceu no dia 23 de Dezembro de 1734. Morreu em 1819.)

Sem comentários:

Publicar um comentário