quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Pedro Rabelo

Mangueira velha

Foi aqui. Neste tronco hirsuto, certo dia,
Viemos a data abrir das primeiras promessas...
Para no-las dourar, sobre nossas cabeças,
Do alto o sol através das árvores descia.

Contemplámo-nos. Tu, cujo rosto sorria,
"Não me esqueças", disseste, e eu disse "não me esqueças!",
E afastámo-nos, pois que de tua casa, às pressas,
Vinham todos os teus procurar-te, Maria.

Esqueceste-me. O sol que as nuvens avermelha
Não nos viu nunca mais namorados e ufanos...
Breves anos o nosso eterno amor findaram...

Seja sempre abençoada esta mangueira velha!
Esta que inda o conserva através de dez anos,
Mais do que nossos dois corações o guardaram.

Pedro Rabelo 

(Pedro Rabelo nasceu no dia 19 de Outubro de 1868. Morreu em 1905.)

Sem comentários:

Publicar um comentário