quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Severiano de Resende 2

Mar em fora

Deixa singrar o barco a onda revolta! Deixa
Que siga e no horizonte intérmino se suma
E entoe o nauta heróico esta saudosa endecha
Cujo eco esparso fica ainda a chorar na bruma.

Que importa o rumo ignoto à proa que se apruma

Contra o euro que na enxárcia ríspida se queixa,
Se o rastro vai perder-se enfim por entre a espuma
Onde a nereida ablui a mádida madeixa?

Eu não quero saber que rota ideou o esquife

Indolente que além pela amplidão balança,
Sem temer que a borrasca instantânea o espatife.

Avante' o sonho, o sonho é que nos dá confiança!

Cuidado! barra afora esconde-se o arrecife!
Embora! no meu bojo arde e anseia a esperança.

"Mistérios", Severiano de Resende

(Severiano de Resende nasceu no dia 23 de Janeiro de 1871. Morreu em 1931.)

Sem comentários:

Publicar um comentário