quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Júlio Perneta 2

Exéquias

Hoje, relendo a Bíblia da existência,
Parei, chorando, em meio da leitura;
Havia em tudo emanações da essência
De teu sorriso e minha desventura.


Em cada trecho, eu ia relembrando
O teu perfil esplêndido e sonoro,
- Sombra que passa, célere, cantando
A minha mágoa, pela tuba de ouro.


E, como sombras hipnotizadas,
Passa, chorando, o triste amor desfeito,
O cortejo das almas desgraçadas;


E ris; teu riso é como uma ironia
Que vem desabrochar dentro em meu peito
O eterno lótus da Melancolia.


Júlio Perneta

(Júlio Perneta nasceu no dia 27 de Dezembro de 1869. Morreu em 1921.)

Sem comentários:

Publicar um comentário