domingo, 24 de dezembro de 2017

Fernando Castro

os ciclistas 

como se o binóculo
trouxesse para dentro de si
despejos e recortes
da
paisagem
e os raios solares
se confundissem com os giros da bicicleta
que se espalham em torno da área presumível
por faixa e emblemas
- é o reino das ciclovias e certames
onde os ciclistas
abraçam o vazio e se despedem
em horizontes flutuantes
e
penetram no espaço de vasos taoistas
que descoberto em arestas e recipientes em torno
criam a profundidade do exterior
- Assim -,
o teu corpo
erguido em pilares
que circulam como vias de acesso
expele contínuas tonalidades de vidraças
momento em que o dorso se inclina
como folha de plátano recém-incendiada
quase tangendo os recantos da paisagem
dentro do binóculo
é
como os ciclistas conduzem
teu primeiro suspiro noturno
(sem lembrança)


"Os Ciclistas e Outros Poemas", Fernando Castro

(Fernando Castro nasceu no dia 24 de Dezembro de 1935)

Sem comentários:

Publicar um comentário