terça-feira, 25 de abril de 2017

João Cardoso de Meneses e Sousa

A uns olhos 

O que no azul fulgura
Cruzeiro sideral,
A luz, que pouco dura,
Da estrela matinal,

Os raios, com que esplende
O disco áureo do sol,
Se d'alva após, acende
Na esfera o seu farol.

O brilho, que irradia
Nas amplidões do céu,
Quer nele impere o dia,
Quer abra a noite o véu,

Quanto, a luzir, cintila,
Imerge na penumbra,
Se vibras da pupila
Clarão, que nos deslumbra.

Tu da mulher primeira
Herdaste a luz divina,
Que virginal, inteira,
Conservas na retina.

João Cardoso de Meneses e Sousa 

(João Cardoso de Meneses e Sousa nasceu no dia 25 de Abril de 1827. Morreu em 1915.)

Sem comentários:

Publicar um comentário