domingo, 16 de outubro de 2016

Jaime de Altavila

Fim de romance

Tanto projeto de ventura,
Tanta promessa de alegria,
Tanto prenúncio de doçura
Para algum dia...

Tanta esperança enverdecida,
Tanta volúpia crepitante,
Tanta ilusão para uma vida
Muito distante...

Tanta miragem de oiro e rosa,
Tanto desvelo prematuro,
Tanta beleza esplendorosa
Para o futuro...

Tantos anseios de carícia,
Tantos desejos a florir,
Tanta emoção, tanta primícia
Para o porvir...

Tanta loucura imaginada,
Tantos castelos e, ao depois...
Depois, descrença... Depois, nada...
(Que será feito de nós dois?)


"Poemas de Jaime de Altavila", Jaime de Altavila

(Anfilóflilo de Oliveira Mello, que usou o pseudónimo de Jaime de Altavila, nasceu no dia 16 de Outubro de 1895. Morreu em 1970.)

Sem comentários:

Publicar um comentário