segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

João Sarmento Pimentel 2

O automóvel parou ao lado da igreja do Mosteiro de Santa Cruz, onde está agora instalado um café-restaurante e foi, tempos idos há muito, a capela do recolhimento de S. João das Donas enclaustradas. Aquele eruditos cónegos regrantes de Santo Agostinho, vê-se pela vizinhança que não esqueciam a recomendação do seu patrono e grande doutor da Igreja - "se não puderes ser casto, sê cauto". Era bem fácil, ali à mão de semear, salvar as aparências. E nem havia que pular a cerca, já que o jardim da Manga tinha uma porta com aldraba corrediça, dizem, que dava para o claustro do mosteirinho das virtuosas penitentes. É muito natural haver ali também, e nessa mesma porta, a tranca que poderemos chamar da moralidade, e que vedada abusos duma ou da outra das partes. Tenho como certo ficar a tal segurança colocada do lado que dava para o claustro dos frades, mesmo porque quem estabelecia as penitências eram eles, austeros confessores, e não as humildes pecadoras, diletíssimas servas do Senhor...

"Memórias do Capitão", João Sarmento Pimentel

(João Sarmento Pimentel nasceu no dia 14 de Dezembro de 1888. Morreu em 1987.)

Sem comentários:

Publicar um comentário