sábado, 25 de agosto de 2018

Quando o dever chama

Nunca me tinha acontecido. Estou atolado em dívidas. Ontem fiquei a dever doze cêntimos na padaria e hoje fiquei a dever cinquenta cêntimos na peixaria. Por outro lado, devo dois euros (um mais um) à latinha do Euromilhões, que é para o bacalhau do Natal. O meu nome na praça também deve andar pelas ruas da amargura. Estou desgraçado, não sei o que hei-de fazer à minha vida.

Sem comentários:

Publicar um comentário