segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

José Manuel Capêlo 2

A razão do meu sentir de hoje!

Eu quero ser louco.
Deixem-me ser louco.


Loucura não é usar boné
coçar na cabeça, roer um dedo, olhar uma grade
andar num só pé.
Loucura não é olharem-me nos olhos
fumar dum só lado
entre flores de cemitério
uma perna que passa, uma saudade de fado.


Eu quero ser louco.
Deixem-me ser louco.


A loucura é uma casa em que me abrigo
uma luz que me ilumina, uma mão que me segue
e que riu porque a sigo.
Loucura é fazer versos
é mostrar-me, é dizer quem sou
- um dedo, um olhar, um boné -
dos lugares que sinto... dispersos.


Eu quero ser louco.
Deixem-me ser louco


ao menos
Hoje!

"Odes Submersas", José Manuel Capêlo

(José Manuel Capêlo nasceu no dia 29 de Janeiro de 1946. Morreu em 2010.)

Sem comentários:

Publicar um comentário