segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Bravo!, bravo!, bravo!, gritou-se na ópera

O São Carlos rebentando pelas costuras, o público, conhecedor, finíssimo, lisboeta, num delírio de palmas compassadas e gritos comedidos (os chamados gritinhos): - Bravo!, bravo!, bravo!...
O touro, um Miura rondando os 650 quilos, assomou à boca de cena e agradeceu, composto e patriótico: - Gracias, muchas gracias!...

Sem comentários:

Publicar um comentário