domingo, 21 de agosto de 2016

Josué Montello 4

Antigamente moça não mostrava o pé. Hoje, mostra o pé, a perna, a coxa, tudo! Tudo, Mestre Severino. Quando senta, dobra a perna, o coxão aparece. Mesmo na igreja, diante de Nosso Senhor Jesus Cristo. Na hora do sermão, só eu sei a força que faço para não disparatar. Tudo mal sentado. Mesmo as velhas, que têm o dever de dar o bom exemplo. Não sei se o senhor já sabe que ultimamente eu não tenho confessado ninguém.
Pois é verdade. Só na hora da morte, para ministrar a extrema-unção. Fora daí, não. Não aguento mais com as safadezas que todo mundo vem me cochichar no pé do ouvido. Basta. Não suporto mais. A vontade que tenho agora é ficar dentro do confessionário com um chicote rabo-de-tatu, para aplicar a penitência, eu mesmo, na bunda de muita velha. Para mim, chega! Assim também é demais! Quanta barbaridade! Quanta falta de vergonha! Só pecado.

"Cais da Sagração", Josué Montello

(Josué Montello nasceu no dia 21 de Agosto de 1917. Morreu em 2006.)

Sem comentários:

Publicar um comentário