domingo, 31 de maio de 2015

Entre o épico e o dantesco

Havia um sábio chefe de redacção que afinava solenemente quando os seus jornalistas escreviam que o incêndio era "dantesco". "Não há incêndios dantescos!", vociferava definitivo o mestre, cortando a riscos de esferográfica e raiva a asneirola que tanto o incomodava. Porque as palavras querem dizer e têm preço, um valor específico, não devem ser usadas à toa e de graça.
Esta noite os jornais dizem-me que a vitória do Sporting na Taça foi "épica". Pois também me parece um exagero. Foi um simples jogo de futebol, os Leões apenas venceram o Braga, a história de Portugal não muda por causa disso, a Terra não passou a girar ao contrário e amanhã cá estaremos todos na mesma merda, sportinguistas incluídos, com Passos Coelho e Portas à perna.
Sim, eu sei: o problema dos títulos dos jornais é terem de ser feitos.

Sem comentários:

Publicar um comentário