quarta-feira, 17 de julho de 2019

Para falar com Deus

Tomou horas, foi para a fila, tirou senha, esperou vez, chamaram-lhe o número, acostou finalmente ao balcão das informações e perguntou: - Para falar com Deus, falo com quem?...

Os meus cromos 67: Nuno Fernandes

Foto Hernâni Von Doellinger

João José Cochofel 4

Álcool

Partir,
sim, mas partir realmente,
definitivamente,
cobra que deixa a pela já crestada dos sóis
e se empoleira nas árvores como um pássaro.

Partir,
mas com a espontaneidade de quem sente que parte,
e não com o desespero
de quem quer fazer-se partir.
Partir,
que os hotéis de luxo têm seus quartos guardados para mim,
e os salões embandeirados de luz
esperam-me
Partir para Jungfraus e Niagaras,
e à noite embriagar-me entre cristais e mulheres!

Depois,
raspar com as unhas no chão e enterrar-me,
deixando os olhos de fora
para que neles poise
o último orvalho da manhã.

"Breve", João José Cochofel

(João José Cochofel nasceu no dia 17 de Julho de 1919. Morreu em 1982.)

Offshore se fashavore 262

Foto Hernâni Von Doellinger

Dirceu Quintanilha 3

A noite

No exato momento do grito
janelas e portas
amedrontadas,
fecham-se -
na noite do grito.

Na noite interna dos trincos
paredes, petrechos,
móveis-sombra,
vestem-se de silêncio.

Homens-mulheres-família
encolhem-se como vermes:
  - Estátuas
onde o sangue flui, o gelado -
em desamparo.

No exato momento do grito
noturno.

Dirceu Quintanilha

(Dirceu Quintanilha nasceu no dia 17 de Julho de 1918. Morreu em 1994.)

Estou mesmo a ver o filme 109

Foto Hernâni Von Doellinger

terça-feira, 16 de julho de 2019

Microcontos & outras miudezas 154

Ponto de honra
Licenciou-se. Fez três mestrados, uma pós-graduação, uma pós-produção e uma pós-tulação. Arranjou trabalho num call center. O pai, preocupava-o o pai: certamente desiludira o cota. O cota dizia-lhe que não: - Meu filho, qualquer emprego é bom e digno desde que seja honesto. Ainda que assaltes bancos ou roubes velhinhas, se o fizeres honestamente, serás sempre o meu orgulho.

Estereofonia
- Agora os auriculares: este tem um L, de left, e é para a orelha esquerda...
- E o outro?...

Mais leve que o ar
Há quem seja magro, mas Hélio abusava. Um dia levantou voo.

À vez
A casa dos sete anões era tão pequena que só lá cabia um. Com os pés de fora. 

À vez 2
Branca de Neve brincava às casinhas com a casa dos sete anões. Com os anões brincava aos médicos, há quem diga. 

Lições de História: Isaías
Isaías era profeta. Filho de Amoz, nasceu por volta de 765 a.C., acompanhou os reinados de Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias, uma linha média de se lhe tirar o chapéu quando disposta em 4-4-2 losango, casou com uma mulher conhecida apenas pelo nome de Profetisa, que o marido lhe pôs, e tiveram dois filhos: Sear-Jasube e Maer-Salal-Hás-Baz. Está-se a ver, portanto, aonde é que os brasileiros e a Luciana Abreu vão buscar os nomes para os  seus rebentos.
Isaías escreveu um livro para a Bíblia chamado especificamente Livro de Isaías para não ser confundido com o Deuteronómio. A crítica não lhe foi favorável. Diversos especialistas descrêem que a obra tenha um único autor, Isaías ele próprio, vendo-a, antes, como um trabalho a várias mãos e de diferentes épocas, coligido eventualmente no ano 400 a.C, ou até mais tarde. Isaías seria assim uma espécie de escritor dos nossos dias, nome de capa, escritor do que já foi escrito. Por outros.
Amuado com semelhante desmerecimento público, Isaías deixou-se de profecias, abandonou o reino de Judá e veio jogar futebol para Portugal, em 1987. Começou pelo Rio Ave, brilhou no Boavista e foi para o Benfica, onde fez cinco épocas, 178 jogos e 71 golos, ganhou dois campeonatos e uma Taça. Passou pelo Coventry City, de Inglaterra, e tornou cá em 1999, para representar o Campomaiorense. Regressou ao Brasil em 2000 e pendurou as botas em 2003.
Ficaram célebres os seus dizeres numa por acaso flash interview: "Ouvi a palavra do Senhor, príncipes de Sodoma, escutai a lei do nosso Deus, povo de Gomorra."