domingo, 17 de setembro de 2017

Ovídio Martins

Caboverdianamente
 
Detém-te lágrima
Não ferimos ainda o último combate
Ah este desejar loucamente o sol
este ansiar febril por fonte que não há


Detém-te e espera
caboverdianamente espera
o dia em que
devagarinho
penetrarás
a terra seminada de esperança


Detém-te lágrima
que estás no limiar do reino encharcado de ol
do belo reino encharcadode sol
a razão crioula da nossa luta


Detém-te e olha
as palavras feitas raizes
entrelaçadas de amor
e sangue
confundidas na mesma seiva
que alimenta montes e sargaços


Detém-te lágrima
e aguarda
calmamente aguarda
caboverdianamente


"Gritarei, Berrarei, Matarei, Não Vou para Pasárgada", Ovídio Martins

(Ovídio Martins nasceu no dia 17 de Setembro de 1928. Morreu em 1999.)

Sem comentários:

Publicar um comentário