sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Eu, crente, me confesso

Sou crente e não me sinto afrontado pelo cartaz do Bloco de Esquerda com a imagem de Cristo, do Sagrado Coração de Jesus, festejando a adopção por casais homossexuais. O padre Manuel Barbosa, porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa, não me perguntou a minha opinião e, portanto, não está autorizado a falar por mim, que sou tão crente, pelo menos, quanto ele.
Sou crente e não gosto do Bloco de Esquerda (embora já tivesse gostado menos). Sou crente e sou pela adopção por casais homossexuais. Sou crente e o cartaz do Bloco - posto que ignorante, infantil e bacoco, Bacoco de Esquerda - nem me afronta nem me desafronta. Fosse o caso, e tomaria bicarbonato. Cuidava era que a Igreja tivesse mais que fazer...

(Acrescento, às 14h32 de sábado, dia 27 de Fevereiro de 2016: tomei devida nota dos piedosos afrontamentos do ex-ministro Pedro Mota Soares, do CDS, e do pantomineiro Carlos Abreu Amorim, deputado do PSD. Vê-se que são pessoas que vão todos os dias à missa e rezam o terço antes do deitar. São, agora, 14h33. Lá fora o céu desaba em saraiva e a borrasca passa tão depressa como apareceu. Será que Deus nos quer dizer alguma coisa?)

Sem comentários:

Publicar um comentário