quarta-feira, 18 de julho de 2018

Manuel Pinho é um cómico

Era o ano de 2008. Manuel Pinho, o ministro da Economia e outros afazeres que se desgraçou por causa de uns corninhos na Assembleia da República, foi ao Estádio Nacional entregar a taça ao vencedor do Estoril Open: Roger Federer, para que conste. E levou a vaia da ordem. Era uma tradição do torneio - assobiar o vaidoso do Governo que lá fosse botar figura.
Eu estava nos jornais. Mandaram-me ligar ao ministro no dia seguinte, para saber como é que ele encaixou a humilhação. E apanhei-o.
Mas qual humilhação? Pinho estava todo contente, até parecia que tinha gostado. Explicou-me: "Toda e gente me disse que, de longe, fui o ministro menos assobiado dos últimos anos".
Consta agora que Manuel Pinho é, de longe, o ministro ou ex-ministro menos ouvido pela polícia e pelos juízes nos últimos anos. Porque ele não fala. Só faz gestos. É um mimo...

Sem comentários:

Publicar um comentário