sexta-feira, 18 de março de 2016

Ronaldo Cunha Lima

Poema do desencontro

Era segunda, imaginei domingo.
Era de noite, imaginei manhã.
Chovia muito e eu imaginava sol.
As pessoas se comprimiam e eu não via nada.
Havia multidão, eu me sentia só.

Você não estava, mas eu a fiz presente.
Você chegava sem saber se estava.
Você falou sem saber o que disse
e disse coisas sem dizer palavras...

Você estava perto sem saber se estava.
E até me beijou sem se sentir beijada
Era segunda, mas imaginei domingo.

Chegou o sol e se fez manhã,
chegou o dia e se fez domingo.
Houve palavras, mas não eram suas.
Houve presença, mas sem ser você.
Houve multidão e agitação profunda...

Então era manhã, mas eu quis a noite.
Fazia sol e eu queria chuva.
Era domingo e desejei segunda.


Ronaldo Cunha Lima

(Ronaldo Cunha Lima nasceu no dia 18 de Março de 1936. Morreu em 2012.)

Sem comentários:

Publicar um comentário