terça-feira, 15 de março de 2016

Carolina Michaëlis

Com respeito aos dramas de Inês, considero como tradição histórica não só o amor de perdição do herdeiro da coroa e o seu desenlace sangrento, mas também os seus reflexos de além-tumba. Isto é, ao iníquo intercâmbio dos executores portugueses da ordem régia contra expatriados castelhanos e à tremenda vingança neles realizada. Chamo histórico também tanto ao cortejo fúnebre imponente de Coimbra a Alcobaça, como ao juramento solene, ou sacro perjúrio, enunciado pelo filho de Afonso IV, depois de entronado, com relação ao seu casamento clandestino; e à configuração de Inês, na estátua sepulcral jazente, com coroa de rainha. Três actos consecutivos, intimamente ligados entre si e com o quarto e último: o da vingança tomada nos algozes. Actos cujo conjunto é único na história de todas as nações e bem merece a fórmula de "grande desvairo", cunhada por Fernão Lopes.

"A Saudade Portuguesa", Carolina Michaëlis

(Carolina Michaëlis nasceu no dia 15 de Março de 1851. Morreu em 1925.)

Sem comentários:

Publicar um comentário