sábado, 19 de novembro de 2011

Eles, os políticos

O jornalista André Macedo escreveu uma crónica no Diário de Notícias, creio que anteontem, na qual, depois das voltinhas que fazem parte, acabou criticando "aquelas crónicas de jornal que tratam os políticos por "eles"? Desdenhosamente "eles", por oposição a "nós", os justos e bons". O jornalista André Macedo é um jornalista competente e deve ser uma excelente pessoa. Digo isto da excelente pessoa, e tenho quase a certeza, por causa de uma coisa que uma vez tratei com ele. Mas vê-se que é novo, que a vida lhe corre, Nosso Senhor o proteja e guarde, e que não faz a mínima ideia do que se passa cá em baixo. Senão já teria percebido que o defeito não é das crónicas, que há realmente "eles", os políticos filhos da puta e seus eunucos abanadores, políticos que regra geral se servem de "nós" mas não querem saber de "nós". E há realmente "nós", que não nos deixam ser mais do que isso: "nós". Mas "nós" um de cada vez, porque "nós" todos juntos éramos capazes de escangalhar a ordem estabelecida por "eles", e "eles" sabem disso e sabem que isso não lhes convém. E por isso mandam dizer que não é bem assim. E mandam apartarem-nos "uns" dos "outros".
O André Macedo parece que não sabe, mas "eles" é que dizem de nós que nós somos "eles". Somos uma coisa que não é bem coisa nem é nada e que tanto se lhes dá como se lhes deu. A "eles". Esta, caro André, é a verdade da vida. Se nas suas crónicas de jornal tem contas a ajustar com os que escrevem crónicas de jornal, seja homenzinho, baptize os bovinos, não o faça à custa de "nós".

Sem comentários:

Publicar um comentário