terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Microcontos & outras miudezas 7

A ordem dos factores nem sempre é arbitrária
- O meu problema foi deitar as canas e apanhar os foguetes - explicava o maneta.

Assim e assado
- Há dias assim...
- E dias assado?
- Assado, não. Só aos domingos.

Não há condições
As condições reuniram. Verificada a falta de quórum, cada condição foi à sua vida...

Rio-me por tudo e por nada
Gosto das escorregadelas em casca de banana. É humor de casca-grossa. Mas prefiro os trambolhões em pele de cereja - piada fina. A vida é uma comédia e há quem não saiba...
 
Conversa de mulheres
- E eu disse-lhe: foi assim, assim, assim...
- Disse?
- Disse.
- Não me diga...
- Disse.
  
Achei uma carteira
Achei uma carteira e dirigi-me ao polícia mais próximo. O polícia disse-me educadamente mas para que é que eu quero esta merda, ó excelentíssimo indivíduo? Para acender o caralho do cigarro, ó ilustre autoridade, expliquei eu não menos cortês. Efectivamente a carteira era de fósforos.

Remédio santo
Eu tinha um problema: enfiava-me no guarda-fatos a comer nozes, o que me provocava imensas aftas. Fui ao médico: mandou-me comprar um baú para substituir o guarda-fatos e tenho andado muito bem.

Comida, carros e gajas
- Eh pá, vocês só falam de comida!... - estão sempre a acusar-nos, a nós, aos do Norte. E sem razão. Na verdade, nós, os do Norte, somos tão capazes de manter conversas interessantes e profundas sobre gajas e carros como o resto dos portugueses.

Com os copos não há meias medidas
Há duas posições fundamentais nos copos: o copo cheio e o copo vazio. Ao copo cheio dá-se-lhe um beijinho e o copo vazio deve ser absolutamente escorropichado. O resto é conversa.

Sem comentários:

Publicar um comentário