terça-feira, 22 de março de 2016

Guimarães Passos 2

... Depois

Para mim, pouco importa a recompensa
Dos meus carinhos, quando te procuro;
Dirão que tens um coração tão duro,
Que pedra alguma há que em rijeza o vença.


Dirão que a calculada indiferença
Com que tu me recebes, é seguro
Condão que tens, de todo o meu futuro
Trocar, sorrindo, em desventura imensa.


Dirão... Que importa a mim? Dá-me o teu leito,
Dá-me o teu corpo, fecha-me nos braços,
Une os lábios aos meus, o peito ao peito,


Que eu nem saiba qual seja de nós dois...
Mentem teus beijos? mentem teus abraços?
Será tudo mentira... mas depois.


"Horas Mortas", Guimarães Passos

(Guimarães Passos nasceu no dia 22 de Março de 1867. Morreu em 1909.)

Sem comentários:

Publicar um comentário