terça-feira, 23 de abril de 2019

Valentín Paz-Andrade 7

Verde vento polas leiras
e vento azul polo mar,
panos da mesma bandeira.


Quen fora vento, meu mar
e sobre o teu lombo brando
puidera o corpo deitar!


Quen fora o vento poboado
de polen e de cantigas
e malvises namorados!


Quen fora o vento que rube
a refrescar as estrelas
despois de folgar coa nube!


Quen fora xinete alado
de ardor e de vidro feito
sobre das olas montado!


"Sementeira do Vento", Valentín Paz-Andrade

(Valentín Paz-Andrade nasceu no dia 23 de Abril de 1898. Morreu em 1987.)

Sem comentários:

Publicar um comentário