quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Microcontos & outras miudezas 115

O futuro tem tempo
Chegou aos 61 anos e deu fé do seguinte: ainda não sabia o que queria ser quando fosse grande.

Mas onde é que eu o deixei?...
Era um avançado muito distraído. No momento supremo do remate - dizem os especialistas -, andava sempre à procura do pé esquerdo...

Ou há moralidade...
Não havia quem lho tirasse da ideia: se um cego é invisual, um surdo é insonoro.

Esta janela não é de fiar
O telemóvel garante-me que lá fora, a esta hora, chove copiosamente. Olho agora mesmo pela janela e vejo um rico dia de sol. Quando parar de chover, vou mandar arranjar a janela. 

Passodoblando
Quando o poeta disse "Entram velhas doidas e turistas, entram excursões, entram benefícios e cronistas, entram aldrabões, entram marialvas e coristas, entram galifões de crista", alguém perguntou: - Mas quem caralho é o porteiro?... 

O último a rir...
Quando o poeta disse "Deixa-me rir", o pessoal - a verdade é para ser dita - encolheu os ombros e bebeu mais um copo...

É assim...
O poeta disse "É preciso avisar toda a gente", e assim começou a toléria dos telemóveis nos concertos.

É só fazer as contas
Quando o poeta disse "Foram não sei quantos mil", embora pareça, não estava a exagerar...

Une petite différence
A diferença entre panache e panachê é gasosa.

Sem comentários:

Publicar um comentário