segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Plínio Salgado 2

Noturno

A boate tinha tons de azul e de violeta 
na penumbra onde os vultos se moviam.
A música tinha tons de rosa
com fagulhas vermelhas e reticências pretas.
O uísque tinha um gosto amarelado.
As almas eram azuis, violetas, vermelhas,
negras e alaranjadas:
a presença do álcool e do sexo.

Cheiro humano. Cheiro
de humanidade decaída.

As horas correm, chega a madrugada,
Por mais incrível que pareça,
há problemas vagando pelas ruas
e há estrelas brilhando no céu alto,
e há tristeza do século pesando
sobre a cidade que se julga
potente, pelos edifícios silenciosos,
feliz porque se entrega à embriaguês.

A boate tinha tons de azul e de violeta
e os problemas passeavam pelas ruas... 

"Poemas do Século Tenebroso", Plínio Salgado 

(Plínio Salgado nasceu no dia 22 de Janeiro de 1895. Morreu em 1975.)

Sem comentários:

Publicar um comentário