sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Osvaldo Orico 2

Era uma carícia úmida, esquisita, escorregadia. Como se o lodo subisse do solo. E a enlameasse. Sempre tivera por aquele ente estranho uma grande piedade mas naquele momento, sentindo mais que a sua presença, o seu contato, tomava-se de medo, de nojo. Evitava, porém, denunciar o pavor que a dominava. E permanecia ali, imóvel, como que presa à terra, sem dizer palavra, sem fazer um movimento. O capataz, estimulado por uma aparente benevolência, avançava com as mãos pelos braços de Cholita, envolvendo-os em afagos súplices, derretidos... E como não encontrasse resistência, espalhava-as pelo rosto, pelos cabelos, sem que a moça se sentisse com ânimo de escorraçá-lo, de afastá-lo dali com os pés. Estava como que grudada ao solo, a respiração suspensa, os sentidos perturbados. Não se julgava dona de si mesma. Queria gritar; mas uma sensação nervosa lhe tapava a boca. Desejava fugir; mas as pernas desobedeciam à sua vontade, imobilizadas no terreno. E o pior é que as mãos de Pancho já não se contentavam com o rosto, nem com os cabelos. Varavam-lhe os seios, forçando o decote do vestido. Pela estrada, nenhuma sombra viva. Papaterra, desempenando o busto até antes acurvado e grotesco, ameaçava arrastá-la para o fundo do quintal, onde ele refocilava no brejo. Então sucedeu uma coisa que nem mesmo Cholita teria podido esperar: uma onda de sangue lhe degelou as pernas. E com elas arremeteu contra o capataz, obrigando-o a esgueirar-se pela sombra do jardim. Dali continuava a espreitá-la. Poucos passos o separavam do alvo. Humilhado e corrido, ameaçava-a ainda com a sua presença. Cholita alongou os olhos pela estrada, como a implorar proteção. E nada. De repente, sentiu que as vicejantes trepadeiras do alpendre desabavam, que a casa vinha abaixo, que as paredes não resistiam, que a terra se partia em pedaços, irritada e aflita, esticando os nervos na contorção de um minuto terrível, trágico. Um minuto, apenas...

"Marabaxo, Contos", Osvaldo Orico

(Osvaldo Orico nasceu no dia 29 de Dezembro de 1900. Morreu em 1981.)

Sem comentários:

Publicar um comentário