sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Luís Miguel Nava 2

A fome

Aqui, onde a mão não
alcança o interruptor da vida, aqui
só brilha a solidão.
Desfazem-se as lembranças contra os vidros.


Aqui, onde a brancura
dum lenço é a brancura do infortúnio,


aqui a solidão
não brilha, apenas
se estorce.
A fome fala através das feridas.


"Vulcão", Luís Miguel Nava

(Luís Miguel Nava nasceu no dia 29 de Setembro de 1957. Morreu em 1995.)

Sem comentários:

Publicar um comentário