sábado, 30 de setembro de 2017

Botar é a direito e um beber cívico

- Botas tu ou boto eu?
- Bota tu, mas bota de alto...
- Boto em consciência...
- Então bonda, que já esborda...
- E agora?
- Agora: dou-lhe um beijinho, mando-lhe uma pescoçada, e a seguir boto eu...

P.S. - Botar ou não botar, eis a questão. Sobre tão momentoso assunto, recomendo duas releituras evidentemente educativas, aqui no Tarrenego!: Mais um quartilho para a mesa do canto e O falar antigo (ou o fafês, se calhar).

Sem comentários:

Publicar um comentário