sábado, 27 de maio de 2017

Luís Veiga Leitão

Carta

Lanço as palavras ao papel
como pescador calmo
lança os barcos ao rio.
Só no fundo, no fundo inviolado,
contraio e espalmo
as minhas mãos, mãos de afogado
morrendo à sede.

- Meu amor estou bem -

Quanto te escrevo
ponho os olhos no teu retrato
pendurado nos ferros da minha cama

para que as palavras tenham o sabor exacto
de quem me ouve,
de quem me fala,
de quem me chama.

- Meu amor estou bem -

Ontem vi a Primavera
numa flor cortada dos jardins.
Hoje tenho nos ombros uma pedra
e um punhal nos rins.

- Meu amor estou bem -

Se a morte vier, querida amiga,
à minha beira, sem ninguém,
hei-de pedir-lhe que te diga:

- Meu amor estou bem -


"Latitude", Luís Veiga Leitão

(Luís Veiga Leitão nasceu no dia 27 de Maio de 1912. Morreu em 1987.)

Sem comentários:

Publicar um comentário