terça-feira, 27 de setembro de 2016

Vinicius Meyer

Saudade 

... e o canto dolente
da gente da terra,
monótono e longo,
findando-se em ais!

 ... e as noites tão longas,
cruzadas de luzes,
pejadas de gritos,
inçadas de cruzes!

... e o sol que requeima,
e a terra que arde,
e o eito escaldante
nas horas da tarde!

... e os olhos morenos,
nostálgicos, ternos,
que nele pousaram,
dormindo silentes!

Tudo acompanha o estrangeiro triste,
que, da popa do navio,
lança os olhos,
como mãos aflitas,
para a terra que some,
que some entre praias ardentes.

Saudade, por que acompanhas o estrangeiro triste?
Por que o acompanhas aos países frios,
tu que moras nas terras tropicais?

Saudade:
passageira da popa dos navios,
esperança que olha para trás...

"Poemas Caboclos", Vinicius Meyer

(Vinicius Meyer nasceu no dia 27 de setembro de 1906. Morreu em 1954.

Sem comentários:

Publicar um comentário