sábado, 24 de setembro de 2016

Antonio Tabucchi 4

"Perguntei-lhe por aquele tempo, de quando éramos ainda realmente jovens, ingénuos, arrebatados, patetas, incautos. Alguma coisa ficou, a juventude não - respondeu."
O velho professor calara-se, parecia quase constrangido, enxugara precipitadamente uma lágrima que lhe assomara às pestanas, dera uma palmadinha na testa como que a dizer que palerma, queiram desculpar-me, desapertara o papillon de um cor de laranja incrível e dissera no seu francês castigado por uma forte pronúncia alemã: peço desculpa, peço desculpa, já me esquecia, o título da poesia é
O velho professor, da grande poetisa polaca Wisława Szymborska, e foi então que apontou para si próprio como a querer dizer que a personagem daquela poesia coincidia de algum modo com ele, depois bebera outro calvados, bem mais responsável pela sua comoção do que a poesia, e deixara escapar meio soluço, levantaram-se todos para o consolar: vá lá, Wolfgang, continua a ler, o velho professor assoara-se a um enorme lenço aos quadrados: "Perguntei-lhe pela fotografia", continuara com voz poderosa, "a da moldura pousada na secretária. Eram, foram. Irmão, primo, cunhada, mulher, a filhinha sentada ao colo, o gato nos braços da menina, e a cerejeira em flor, e sobre a cerejeira o voo de um pássaro não identificado - respondeu."

"O Tempo Envelhece Depressa", Antonio Tabucchi

(Antonio Tabucchi nasceu no dia 24 de Setembro de 1943. Morreu em 2012.)

Sem comentários:

Publicar um comentário