terça-feira, 10 de maio de 2016

Raul Proença

O que desde logo impressiona o viajante ao entrar nas planícies luminosas do Algarve é o pequeno porte do arvoredo, quase cosido à terra, figueiras, alfarrobeiras, oliveiras e amendoeiras, que de Lagos a Vila Real formam extensos bosquedos e pomares. É uma paisagem que seduz pelo imprevisto e o pitoresco, mas a que falta grandeza e verdadeiro élan. O terreno é, porém, como dissemos, todo cheio de culturas: vinhedos, hortas, searas, vergéis, onde amadurece a melhor laranja, a melhor romã e a melhor uva do país, - tudo arroteado com esmero, tudo tratado como um jardim, a que a palmeira anã ou das vassouras, a palmeira da igreja, o esparto, o amendoim, a batata doce, a própria bananeira, dão aspectos africanos. Apenas para a beira-mar grupos de pinheiros mansos, muito copados e redondos, lembram as árvores com que os primitivos flamengos enfeitavam o fundo das suas tábuas.

"Guia de Portugal", Raul Proença

(Raul Proença nasceu no dia 10 de Maio de 1884. Morreu em 1941.)

Sem comentários:

Publicar um comentário