sábado, 16 de janeiro de 2016

Valentim Magalhães 2

A Ideia Nova

Abisma o teu olhar no azul do firmamento;
Devassa o velho Olimpo e o velho céu cristão:
À serena altivez do seu deslumbramento
A indagadora vista elevarás em vão!


Está deserto o céu! No grande isolamento
Palpita, ensanguentado, o sol - um coração.
Mas os deuses de Homero, o Jeová sangrento,
Alá e Jesus Cristo, os deuses onde estão?


Morreram. Era tempo. Agora encara a terra:
Ressoa alegre a forja e sai da escola um hino.
O Gênio enterra o Mal em uma negra cova.


Deus habita a consciência. O coração descerra
Aos ósculos do Bem o cálix purpurino.
Vem perto a Liberdade. É isto a Ideia Nova.


"Rimário", Valentim Magalhães

(Valentim Magalhães nasceu no dia 16 de Janeiro de 1859. Morreu em 1903.)

Sem comentários:

Publicar um comentário