quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Manoel de Barros (1916-2014)

A poesia está guardada nas palavras - é tudo que eu sei.
Meu fado é o de não saber quase tudo.
Sobre o nada eu tenho profundidades.
Não tenho conexões com a realidade.
Poderoso para mim não é aquele que descobre ouro.
Para mim poderoso é aquele que descobre as insignificâncias (do mundo e as nossas).
Por essa pequena sentença me elogiaram de imbecil.
Fiquei emocionado.
Sou fraco para elogios.


"Tratado Geral das Grandezas do Ínfimo", Manoel de Barros

(Manoel de Barros nasceu no dia 19 de Dezembro de 1916. Morreu hoje.)

Sem comentários:

Publicar um comentário