sexta-feira, 21 de março de 2014

Dinis Machado 2

Antigamente, eram os barcos. Brancos, azuis e furta-cores, com lanternas penduradas nos cintos dos homens que passavam nas cobertas. E aquém dos barcos: as ondas tinham outra maneira de quebrar, o quebrar de antigamente, se é que sabe ao que me estou a referir. Depois, os homens falavam alto e as mulheres ficavam grávidas, as gaivotas rasavam o cais, alisando a pedra, subindo subitamente, enquanto o Norberto afiava os mastros, virados para o céu, com a navalha que um dia se lhe cravaria na garganta. A navalha era do Norberto, até tinha as suas iniciais no cabo, mas foi atraída, por obscuros motivos hipnóticos, para a mão do Toledo das Rondas.

"Discurso de Alfredo Marceneiro a Gabriel García Márquez", Dinis Machado

(Dinis Machado nasceu no dia 21 de Março de 1930. Morreu em 2008.) 

Sem comentários:

Publicar um comentário