domingo, 23 de fevereiro de 2014

Deixem a Lagoa em paz. O povo que diga.

Foto Hernâni Von Doellinger

Leio no jornal da minha terra que a "Lagoa foi discutida no Parlamento". Ainda bem. Não foi nada "discutida", mas façamos de conta: as senhoras deputadas e os senhores deputados da Nação sabem muito de Lagoa (sobretudo se for no Algarve) e dali, da Assembleia do Parlapié, Praça de São Bento 1249-068 Lisboa, há-de sair certamente decisão sábia, dentro de 30 ou de 300 dias, consoante e se não chover. Os zeros são à direita como se fossem à esquerda.
Se quiserem uma opinião palerma e rápida sobre a Lagoa de cá de cima, a nossa Lagoa, a Lagoa de verdade e que nos interessa, perguntem-me a mim que não sou doutor. Ou, vá lá, perguntem ao povo do lugar, mas desta vez sem jigajogas partidárias. E, já agora, deixem-se de merdas, entendam-se: custa assim tanto ser pessoa honrada?
A Lagoa como pretexto para a chicana política, estou em crer, nem ao diabo lembraria...

Sem comentários:

Publicar um comentário