sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Não era bem isto, mas também serve

Juro combater e erradicar esta "chaga", este "flagelo da nossa sociedade", disse o governante, solene e definitivo, comprometendo-se a uma "luta sem tréguas" para proteger os cidadãos, sobretudo "os jovens e trabalhadores". E acrescentou: "Temos de informar, temos de desincentivar, temos de criar mecanismos que conduzam as pessoas a abandonar este hábito".
E de que falava o nosso providente governante? Que chaga nos quer ele sarar? De que flagelo nos vai ele livrar? Será da pobreza galopante? Da fome cada vez para mais? Do desemprego generalizado? Da troika? Da Angela Merkel? Da austeridade amoral? Da corrupção política? Da política da corrupção? Da pedofilia? Dos atrasos na justiça? Dos atrasos nas consultas? Dos atrasos de vida? Do António José Seguro? Dos subsídios imoralmente pagos aos mil e quinhentos boys do PSD? Do analfabetismo? Do insucesso escolar? Dos falsos cursos universitários? Da violência doméstica? Do aborto clandestino? Do excesso de velocidade? Do liberalismo à Lagardère?
Não. O governante, ungido e obstinado, referia-se ao "tabagismo". Também está bem.

Sem comentários:

Publicar um comentário