quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Está bem, abelha

Os nossos deputados vão passar a voar em classe económica nas viagens com duração inferior ou igual a quatro horas, sendo-lhes permitido viajar em executiva apenas em deslocações de duração superior. Esta medida entra em vigor a 1 de Janeiro de 2012, segundo uma resolução assinada pela presidente do Parlamento, Assunção Esteves, publicada hoje no Diário da República.
A anterior legislação, de 2004, determinava que as viagens dos deputados eram feitas "em avião, na classe mais elevada praticada ou, na impossibilidade do recurso a avião, na classe mais elevada do meio de transporte utilizado, incluindo taxas".
A notícia está dada. E depois? O que é que isto me interessa? O que é que isto interessa ao País? É mais um exemplo de treta, tipo comam merda aí em baixo ou morram de fome, que nós cá em cima também só andamos em económica? É isso? E em Lisboa os nossos deputados só vão deslocar-se em carrinhos de rolamentos? E vêm ao Porto no expresso da Resende?
A mim tanto se me dá como se me deu que os deputados da Nação voem alto ou voem baixinho, em económica ou executiva, consoante o passeio dura mais ou menos do que quatro horas. O que eu queria era que eles trabalhassem (para merecerem o que ganham e passeiam) pelo menos, digamos, quatro horas. Por semana. É pedir muito?

Sem comentários:

Publicar um comentário